domingo, 22 de outubro de 201722/10/2017
67 99855 4055
Camara
TRÊS LAGOAS
Denúncia de favorecimento em cessão de área leva Câmara a organizar comissão permanente
A comissão retomará oitivas para esclarecer denúncia encaminhada à Câmara pelo Ministério Público
Rayani Santa Cruz Três Lagoas - MS
Postada em 25/09/2017 ás 15h47 - atualizada em 25/09/2017 ás 17h03
Denúncia de favorecimento em cessão de área leva Câmara a organizar comissão permanente

Os parlamentares decidiram continuar as oitivas e investigações sobre irregularidades. (Foto: Ascom Câmara)

Nesta segunda-feira (25) os vereadores que integram a Comissão Permanente de Desenvolvimento Econômico Adriano Cezar Rodrigues, presidente, vereador Davis Martinelli, relator, e vereador Wellington Ricardo de Jesus, membro, decidiram dar continuidade à investigação sobre uma possível irregularidade em um projeto de lei para cessão de área à empresa Silotrês, na região industrial de Três Lagoas.


O projeto de lei elaborado no final do ano passado doava em forma de comodato cerca de oito quarteirões, a uma empresa que já havia sido contemplada com espaços menores em outras ocasiões. Depois de intensas discussões sobre o assunto o PL não foi apresentado na Casa de Leis e levou alguns vereadores a questionarem e abrirem investigações.


Os parlamentares querem ouvir novas testemunhas, em seu parecer o vereador Davis Martinelli, relator da investigação, aponta que houve sim a possibilidade de crime, cometido pela empresa e agentes da prefeitura, ao apresentarem projeto de lei para cessão de terreno para a empresa. Em seu relatório, Davis indicou que a denúncia seja encaminhada ao Ministério Público.


Na reunião o vereador Cascão solicitou a continuação do processo pela comissão permanente, voltando para a fase instrutória, para que seja feita a oitiva de novas testemunhas. Seguindo o mesmo caminho o vereador Sargento Rodrigues também foi favorável.


Em relação ao processo foi discutido também sobre um áudio que o relator  vereador Davis cita no relatório como evidência de possível crime,  mas que não foi anexado, uma vez que o CD apresentado possui conteúdo estranho ao processo. Assim, apresentaram um requerimento para que o CD seja periciado para apurar possíveis alterações.


Desta maneira os vereadores darão continuidade ao processo, voltando a ouvir testemunhas.


 

FONTE: Rayani Santa Cruz/ Ascom
O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
© Copyright 2017 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium