Índios bloqueiam a BR-262 contra municipalização da saúde indígena

0
13
Cerca de 100 índios participam da manifestação na BR-262. (Foto: Divulgação/PRF)

ndígenas da etnia Terena das aldeias Ipegue, Limão Verde e Cachoeirinha bloqueiam, na manhã desta sexta-feira (29), um trecho da BR-262, em Miranda. O manifesto é contra a municipalização da saúde indígena, projeto do Ministério da Saúde, que pretendia extinguir a Secretaria de Saúde Indígena (Sesai) e inserir a pasta em uma futura secretaria de Atenção Básica. Mesmo com ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, voltando atrás na decisão, o ato foi mantido.

Segundo o cacique Oto Lara, da aldeia Ipegue, a municipalização da saúde indígena significaria um retrocesso. ”Queremos que a Sesai seja mantida. Temos muita dificuldade quando vamos para a cidade procurar atendimento. Na aldeia temos o acompanhamento preventivo. A municipalização seria um retrocesso. Queremos que respeitem a opinião da comunidade indígena”, disse.

Ontem (28) o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, se reuniu com lideranças indígenas, voltou atrás e decidiu manter a pasta. Os índios, porém, decidiram manter o protesto. ”Foi uma decisão que foi só falada, não é nada concreto, não tem nada escrito”, ressaltou o cacique.

O bloqueio, que começou por volta das 6h no quilômetro 529 da rodovia, deverá seguir até o meio-dia. Nesse período, a pista será liberada apenas para passagem de ambulâncias.

Caso o Ministério volte atrás na nova decisão, outros manifestações serão realizadas. ”Vamos continuar bloqueando. Já estamos acostumados com a resistência”, disse.

Conforme a PRF (Polícia Rodoviária Federal), que acompanha o bloqueio, cerca de 100 índios participam da manifestação.

Campo Grande News

Deixe uma resposta