SIG efetua a prisão de autor de latrocínio contra jovem

0
12

No último dia 22/9 o corpo de Maiara Mattoso foi encontrado no quarto do imóvel onde ela morava, sendo constatadas que ela foi brutalmente agredida na face e região do pescoço, além de ter sido esganada e também asfixiada com um travesseiro.

Constatou-se que a carteira e dois aparelhos celulares pertencentes à vítima haviam sido subtraídos pelo autor. No dia 25-9 (terça-feira) o SIG de Dourados assumiu as investigações, sendo que uma das primeiras diligências foi tomar o depoimento de Giovana, pessoa que residia com Maiara.

Após Giovana expor a rotina que ela e Maiara haviam adotado na data do crime, o SIG descartou aquela pessoa como principal suspeita, passando a focar em outras linhas de investigação.

Assim, Rodrigo De Souza Martines, morador em Itaporã, foi visualizado como possível autor do assassinato.

Na quarta-feira (26-9) Rodrigo foi inquirido no SIG, tendo sustentado que realizou um programa sexual com Maiara por volta das 21:30 horas do dia 21-9, e depois foi embora. Contudo, Rodrigo apresentou várias contradições em seu depoimento, principalmente em razão das muitas diligências realizadas pelo SIG.

E mais, durante a oitiva de Rodrigo foram constatadas lesões em suas duas mãos, compatíveis com quem teria desferido socos contra algo ou alguém. Além disso, foi visualizado um arranhão no ombro esquerdo desse agente, levando-se a crer que teria sido causado por Maiara ao se defender das agressões.

Na manhã do dia 27-9 foi representado pela decretação da Prisão Temporária de Rodrigo, pedido apreciado de forma célere pelo Ministério Público e Poder Judiciário. Na última sexta-feira (28-9) foi realizada a prisão de Rodrigo, em Itaporã, momento em que a carteira e um celular da vítima foram encontrados na posse dele. Ao ser interrogado, Rodrigo confessou ter matado Maiara.

Sobre a dinâmica do crime, ele relatou ter chegado em em Dourados na tarde do dia 21-9, momento em que se recordou que ao realizar um anterior programa sexual com a vítima constatou que ela deixava a carteira à vista. Assim, ele idealizou encontrá-la à noite com a finalidade de roubá-la, o que foi feito. Sobre a execução do crime, Rodrigo relatou que durante o ato sexual aplicou um “mata-leão” na vítima, que desmaiou. Em seguida, ele desferiu socos contra o rosto de Maiara. Não contente com tanta violência, Rodrigo esganou Maiara, que teve, inclusive, a traqueia fraturada. Para finalizar a barbárie, o autor asfixiou a vítima com um travesseiro, objeto que foi encontrado pela polícia sobre a face da vítima. Rodrigo relatou que na carteira de Maiara havia o valor de R$ 500,00, dinheiro por ele usado para comprar um sapato e adquirir drogas. Ao ser colocado na carceragem do 1º DP de Dourados, Rodrigo foi hostilizado pelos demais detentos, dado à brutalidade e covardia empregados no crime, sendo ele de forma urgente encaminhado à PED.

Deixe uma resposta