Professores suspendem aulas em protesto por reajuste salarial

0
23
Educadores reunidos na manhã desta sexta-feira. (Foto: Helio de Freitas)

Por reajuste salarial, os educadores da Rede Municipal de Ensino deixaram as salas de aulas para greve de um dia nesta sexta-feira (29) em Dourados, a 233 km de Campo Grande. A decisão foi tomada em assembleia no último dia 25 de junho, no Simted (Sindicato Municipal dos Trabalhadores em Educação).

O ato faz parte da luta para a prefeitura conceder reajuste linear de 6,81% para todos os servidores do magistério e pela reposição de 7,64% do piso de 2017. O município anunciou o índice de 2018 apenas para os professores e concedeu só 2,68% para os administrativos da educação – mesmo reajuste dado a todos os servidores municipais.

Conforme o Simted, os educadores douradenses afirmam que há recursos disponíveis também para valorização dos administrativos. “A contraproposta dos educadores está mantida: mesmo índice para magistério e administrativo da educação e uma previsão oficial para o piso de 2017 (7,64%) do magistério e reajuste do administrativo”, informou a assessoria.

Um estudo nas contas da prefeitura, segundo o sindicato, mostrou que existem recursos específicos da educação, com saldos positivos, tanto em 2017 quanto em 2018. Os salários dos administrativos da educação são pagos com esses recursos, segundo o sindicato, ou seja, há dinheiro suficiente para o reajuste.

“Alguns dos salários dos administrativos são os menores de toda administração. O magistério também tem o menor salário de ensino superior em comparação com outras categorias do funcionalismo municipal”, afirma o sindicato.

Outra paralisação – No último dia 19 também houve paralisação de um dia nas escolas municipais. A prefeitura criticou o ato. Em nota, afirmou ter ficado “surpresa” com a medida.

Fonte:Campo Grande News/Danielle Valentim

Deixe uma resposta